Promoção da Alimentação Saudável


CRIAÇÃO DE AMBIENTES FAVORÁVEIS

I. PAS NO NÍVEL LOCAL

Uma das vertentes de atuação do Ministério da Saúde para a Promoção inclui medidas de incentivo, ou seja, que difundem informação e possibilitam práticas educativas motivadoras dos indivíduos para a adoção de práticas saudáveis, como, por exemplo, ações educativas nas unidades básicas de saúde, escolas e ambiente de trabalho, campanhas publicitárias e eventos de mobilização.

As ações de promoção da alimentação saudável têm os ambientes coletivos como os seus maiores potencializadores, na medida em que permitem congregar, num mesmo local, um grande número de pessoas. Além disso, são adequados para a elaboração das ações de saúde, uma vez que estas podem ser ajustadas a cada contexto específico.

Confira abaixo alguns materiais de apoio, relatórios de oficinas realizadas e de experiências locais para o fomento de ações de promoção da alimentação saudável que podem ser desenvolvidas nos serviços de saúde, nas escolas e nos ambientes de trabalho.


   Promoção da Alimentação Saudável no serviço de saúde

   Promoção da Alimentação Saudável no ambiente escolar

   Programa de Alimentação do Trabalhador


II. MEDIDAS DE APOIO E PROTEÇÃO

Nas vertentes de atuação do Ministério da Saúde referentes à Promoção da Alimentação Saudável são incluídas medidas de apoio e incentivo, com o objetivo de favorecer a escolha decisória de grupos e indivíduos.

Medidas de apoio são aquelas que tornam mais factível a adesão a práticas saudáveis por indivíduos e coletividades informados e motivados, como a rotulagem nutricional, programas de alimentação institucional, cantinas saudáveis nas escolas e ambiente de trabalho e espaços que favoreçam a amamentação no ambiente de trabalho.

Já as medidas de proteção são as ações de caráter regulatório que impedem que coletividades e indivíduos fiquem expostos a fatores e situações que estimulem práticas não saudáveis, como a regulamentação da venda e propaganda de alimentos nas cantinas escolares; regulamentação de publicidade dirigida ao público infantil e a regulamentação da rotulagem de produtos dirigidos a lactentes.

Na consideração dessas vertentes, disponibilizados abaixo textos técnicos, legislações e relatórios que têm como enfoque a rotulagem nutricional, a publicidade de alimentos e a Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos para Lactentes e Crianças de Primeira Infância, Bicos, Chupetas e Mamadeiras (NBCAL). Não deixe de conferir!

  Rotulagem Nutricional de Alimentos Industrializados

  Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos para Lactentes e Crianças de Primeira Infância, Bicos, Chupetas e Mamadeiras (NBCAL)

  Publicidade de Alimentos

  Acordo Social para redução dos teores de sódio, açúcar e gorduras dos produtos industrializados comercializados no Brasil.

    - Grupo Técnico para a melhoria da oferta de produtos alimentícios e promoção da alimentação saudável (Portaria 3.092/07).

    - Acordo de Cooperação entre o Ministério da Saúde e a Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação – ABIA

Veja também:

  Nota Técnica sobre Ações de Redução de Gorduras Trans nos alimentos industrializados.

   Nota Técnica sobre Ações de Redução de Sódio e Açúcar nos alimentos industrializados


III. TABELA DE COMPOSIÇÃO DE ALIMENTOS (TACO)

O conhecimento da composição dos alimentos consumidos no país é fundamental para o alcance da segurança alimentar e nutricional. Assim, tabelas de composição de alimentos tornam-se pilares básicos para a educação alimentar e nutricional, controle da qualidade dos alimentos e avaliação e adequação do consumo de nutrientes de indivíduos ou populações. A disponibilidade de dados de composição nutricional de alimentos de diferentes regiões do país fornece subsídios para a educação alimentar e nutricional baseada na valorização da cultura alimentar local.

Tabelas de composição de alimentos permitem ainda o desenvolvimento de estudos epidemiológicos relacionados à dieta habitual, o fortalecimento da rotulagem nutricional obrigatória e o incentivo ao comércio de alimentos.

A Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO) constitui importante instrumento nacional para a realização de inúmeras ações de alimentação e nutrição em diversos setores, como agricultura, indústria, formação e pesquisa. Baixe aqui a versão recente da TACO.

   Tabela da Taco

  Topo | Voltar

Coordenação Geral de Alimentação e Nutrição - CGAN - At.
E-mail: cgan@saude.gov.br.

Desenvolvido pelo Núcleo de Tecnologia da
Informação e Comunicação do DAB

Site acessível    Valid XHTML 1.0 Transitional    CSS validado pela W3C

Este site é acessível e está de acordo com os padrões W3C de HTML
e CSS e possui o selo brasileiro de acessibilidade.